domingo, 18 de outubro de 2015

Budapeste com criança - Dia 3

Hoje também pegamos o metrô na estação Kispest, porém descemos na estação Arany.

O roteiro do terceiro dia foi:
1- Igreja de são Estêvão
2- Rua Andrassy
3- Ópera
4- Museu do Terror
5- Roda Gigante
6- Vaci it
7- Citadella

 Após descer na estação Arany, seguimos para a saída que avistávamos um Burguer King do lado de fora. Após virar a esquina do Burguer King, viramos a esquerda e avistamos a igreja. Em frente a ela há uma praça grande, que é possível tirar foto com distância. A igreja é bem grande, com capacidade para até 80000 pessoas. Vi que a entrada era gratuita, mas acabamos nem entrando.
 

Seguimos a lateral da igreja e fomos para a parte detrás da mesma. Seguindo para a rua Andrassy. É uma rua larga, com várias lojas de marca famosa. Se seguir nesta rua até o final, chegará na Praça dos Heróis, porém é bem longa.



Seguimos na rua Andrassy até avistar o Ópera, uma espécie de casa de shows para concertos, e mais a frente o museu do Terror, que apresenta informações sobre o nazismo e judeus. Há visitação nos dois, mas como o pequeno estava acordado, não entramos em nenhum. Os prédios são bonitos e valem uma foto. Ainda na rua Andrassy vimos uma sorveteria com um sorvete de máquina bem diferente (comprido), aproveitamos para provar e o pequeno aprovou.




Dali voltamos para o início da rua Andrassy, com o objetivo de chegar na Vaci ut. Tipo um calçadão, com várias lojas e restaurantes, ambiente bem agradável. No caminho passamos pela praça da roda gigante, tipo o London Eye de Budapeste. A roda gigante fica em uma praça bem bacana com quadra e parquinho. Ficamos por ali um tempo para o pequeno brincar.



Depois seguimos pela Vaci ut até o final. Conseguimos comprar milho cozido para o pequeno, que depois foi dormir.


Chegando no final da Vaci ut seguimos para a direita até o Rio Danúbio, um quarteirão mais ou menos. E atravessamos a ponte, que como sempre traz uma vista linda da cidade. Do outro lado chegamos na Citadella, que já foi um forte no alto de um morro. Subimos. A caminhada é longa, há caminhos por escadas e rampas. Como estávamos de carrinho e o pequeno dormindo, preferimos ir pelas rampas. A subida foi cansativa, mas a vista de Budapeste lá de cima compensou. Foi uma bela maneira de se despedir da cidade.





Dali partimos para uma estação da linha 4, descemos na Kalvin Ter e trocamos para a nossa linha, a 3, para voltar para o hotel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário