terça-feira, 31 de julho de 2018

Montreal - Dia 2

O nosso segundo dia em Montreal foi dedicado para visitar o centro histórico da cidade. Montreal, assim como Quebec City, pertence a parte francesa do Canadá e, portanto, possui um centro histórico que lembra e muito as cidades europeias.

Seguimos o seguinte roteiro:

1) Place D’Armes
2) Vieux Séminaire de St-Sulpice
3) Basilique Cathédrale Notre-Dame
4) Old Port (Vieux-Port de Montréal)
5) Science Centre - Museu de Ciência
6) Place Jacques Cartier
7) Hôtel de Ville
8) Château Ramezay
9) Bonsecours Market
10) Underground City (cidade subterrânea)

Chegamos no centro de Montreal bem cedo, por volta de 9hrs da manhã. Para estacionar, uma opção é o estacionamento do shopping Clomplexe Desjardins. Acabamos estacionando em um estacionamento público mesmo. Era domingo e pagamos $10 pelo dia todo.

Começamos na praça Place D’Armes. Essa praça é bem grande e cheia de turistas. Nesta mesma praça você vê o Vieux Séminaire de St-Sulpice e a Basilique Cathédrale Notre-Dame. A estátua que fica no centro da praça é do fundador de Montreal. O seminário é do século 17 e apenas recentemente abriu as portas para visitação. A basílica é a maior construção católica da cidade e é espetacular por dentro. A entrada na igreja custa $5 por pessoa. A todo momento há visitações guiadas na igreja, em francês e inglês. Vale a pena acompanhar um guia para conhecer a história do local. Fique atento ao horário de visitação da Basílica.





Depois da Place D’Armes seguimos em direção a água, para o antigo porto. A área é super legal. No dia da nossa visita estava tendo uma feira de ciências e tecnologia com várias barraquinhas, experimentos e monitores. Assim que chegamos no porto avistamos o Science Centre e logo ao lado uma enorme praça de alimentação. Começamos pelo Science Centre.

O Museu de Ciências de Montreal é bem interessante para as crianças, porém confesso que esperava mais. O museu é todo interativo e possui diversos experimentos interessantes. Ficamos mais ou menos 3 horas dentro do museu. Dentre os espaços do museu, tem o espaço do corpo humano, a área infantil, a área de experimentos (no dia da nossa visita só abriu às 12h), área de física etc. Sem crianças não acho tão interessante incluir este museu no roteiro. O ingresso custou $23 para adulto e $14 dólares para crianças, isso porque não acrescentamos no nosso ingresso o cinema IMAX.





Paramos para almoçar na praça de alimentação que fica ao lado do museu. Por lá tem o poutine, pizza, comida tailandesa, comida italiana etc.

Depois de passear um pouco pela área do porto (tem até uma enorme roda gigante por lá), seguimos para a praça Place Jacques Cartier. Ali tem um obelisco e Hôtel de Ville, que é a prefeitura de Montreal. A construção da prefeitura terminou em 1878. De frente para a prefeitura tem o Château Ramezay, de 1705, já foi residência do governador e atualmente funciona como um museu de história. A região da Place Jacques Cartier é super movimentada, com muitos restaurantes, sorveterias, lojas etc. É só caminhar mesmo para conhecer a área. Por último nesta área fomos conhecer o Bonsecours Market, entretanto ele não é bem um mercado municipal como eu esperava. Demos uma olhada e só vi uma loja enorme e chique de roupas. Em todo caso, tem uma feirinha com alguns artesatos em frente.





Acabamos não tendo tempo de visitar a Underground City (cidade subterrânea usada nos dias mais frios para locomoção), pois optamos por terminar o dia na feira de ciências que estava tendo em frente ao museu, no porto. Li que a Underground City possui vários túneis ligando diversas lojas e estações de metrô.




Gananoque

Roteiro de 1 dia em Gananoque

Na verdade passamos em Gananoque quando estávamos viajando de Montreal para Toronto. Passamos a manhã na estrada, a tarde em Gananoque e a noite na estrada novamente. Gananoque foi a nossa maior parada estratégica do dia para descansarmos um pouco e aproveitar um passeio diferente.

Antes de chegar em Gananoque, demos uma pequena parada em Lancaster, que tem um parquinho bem perto da rodovia que liga Montreal a Toronto. O Smithfield Park é bem legal para as crianças gastarem um pouco de energia, depois de ter ficado um tempo na estrada.


Para almoçar, fomos no shopping 1000 Islands que fica já chegando em Gananoque. Lá tem algum comércio e uma pequena praça de alimentação.

De Gananoque sai o famoso passeio de barco pela 1000 Islands. Este passeio não sai apenas desta cidade, mas de Kingston e Rockport também, por exemplo. Escolhemos fazer o passeio de Gananoque porque gostamos dos preços e do roteiro do passeio. Você pode conferir tudo no site, inclusive comprar os ingressos. Em época de férias de verão, vale a pena comprar os ingressos do passeio com antecedência. A bilheteria fica na 280 Main St, Gananoque, ON K7G 2M2.
Confira as informações atualizadas no site abaixo:
https://ganboatline.com/

Chegamos na cidade, que é bem bonitinha, e passamos em uma Dollarama e um supermercado. Depois seguimos direto para o estacionamento do Gananoque Boat Line. O estacionamento custou 6 dólares para o dia todo. Compramos os nossos ingressos, mais ou menos 35 dólares por pessoa, sendo que o nosso pequeno não precisou pagar, pois apenas crianças a partir de 6 anos pagam ingresso.


Eles pedem para chegar uns 20 minutos antes do horário de partida do barco e então liberam a entrada. É possível sentar na parte aberta, que fica em cima do barco, ou sentar na parte fechada que fica na parte debaixo. A princípio escolhemos ficar na parte de cima, entretanto, o vento estava muito forte e frio, então passamos para a parte debaixo, mas a vista também é tão bonita quanto.




Escolhemos o passeio de 2 horas e meia. O passeio menor não passaria no castelo, o Boldt Castle, então escolhemos este porque queríamos passar por diversos pontos que tínhamos visto na Internet. Apesar de muito tempo no barco, o passeio não foi entediante. Apesar de passar pelos EUA, como não descemos do barco, não é necessário visto para os EUA para fazer este passeio. Há alguns passeios que você pode descer do barco, para estes é necessário apresentar o visto para os EUA.

1000 Islands tem muito mais que 1000 ilhas. As ilhas ficam na fronteira entre o Canadá e os EUA. Portanto, você verá casas dos dois países. Algumas casas mais para mansões, inclusive. O destaque fica para as casas mais isoladas. Lembrando que para ser uma ilha é necessário ter pelo menos uma árvore.











Gananoque é uma cidade super pequena. A pracinha e a prefeitura são uma graça. Se preferir, em Kingston, que fica também bem perto (uns 30 minutos) tem mais opções para comer.

Antes de chegar em Toronto, ainda fizemos mais uma parada na cidade de Belleville. Esta parada foi apenas para visitar um parquinho temático de pirata. O parquinho infantil é super legal e inclui até uma Splash Area. O estacionamento é gratuito, assim como o espaço infantil.


Toronto - Dia 5

No nosso último dia em Toronto e último no Canadá passamos a manhã no High Park. Este é um dos principais e maiores parques verdes de Toronto. É possível passar um dia inteiro por lá.

Começamos o nosso dia marcando no GPS o Zoológico que fica dentro do High Park. Fizemos isso porque há um estacionamento bem próximo da entrada do zoológico, então seria mais fácil para a gente estacionar. Li na Internet que depois das 10hrs da manhã é bem difícil encontrar vaga por ali, chegamos por lá às 9h e estava bem vazio, mas não era um final de semana. O estacionamento é gratuito.


Já que estacionamos ao lado do zoológico do High Park, começamos o nosso passeio pelo zoo. O zoológico é bem pequeno, com poucos animais. Basicamente é uma rua, com recintos de um lado e do outro. A entrada é gratuita. No final da rua do zoo tem saída para continuar no parque, ou você volta tudo para a entrada do zoo.




Também perto do estacionamento tem uma área infantil com parquinho.

O High Park é lindo para passear. Ficamos encantados com a quantidade de esquilos e passarinhos que vinham até a gente buscar comida. O meu pequeno amou e por ele ficava o dia todo brincando com os esquilos. O parque é tão grande que há um trenzinho que você pode comprar ingresso para poder andar pelo parque com mais conforto.

 




O parque tem lago, parquinho infantil, zoo, trilhas, área de piquenique e churrasco, e muito verde.
O símbolo da bandeira do Canadá, aquela folha, tem destaque em um jardim por lá, não deixe de ir neste jardim para tirar uma foto com o principal símbolo do Canadá.

Este dia foi mais curto para a gente por conta do nosso voo para o Brasil.

Niagara Falls

Roteiro de 1 dia em Niagara Falls

Estávamos hospedados em Toronto e partimos de lá para passar um dia em Niágara Falls.

A viagem dura mais ou menos 1 hora e quarenta minutos e passa por alguns shoppings e vinícolas. Se quiser, é possível se programar para visitar algum destes locais na ida ou na volta. Optamos por não visitar nenhuma vinícola nesta viagem, mas pelo que pesquisei em outros blogs, há várias pelo caminho e são bem bonitas.

Na ida, paramos na loja Ikea, que amo. Quem não a conhece, dá uma olhada no site desta loja. Ela parece com a Tok&Stok e Etna do Brasil, só que com preços muito melhores. Compramos algumas coisinhas e almoçamos por lá também, pois tem um restaurante com opções legais e ótimos preços.
Chegamos em Niágara Falls por volta de 13h. Estacionamos o carro em hotel que cobrava $5 pelo estacionamento. Há vários estacionamentos por lá, só rodar um pouco e escolher um. O Fallsview Casino é um destes hotéis que possuem estacionamento e fica bem perto da torre Skylon Tower (Torre com mirante).


Andamos então até a Skylon Tower, mas não subimos. Lembra a CN Tower, porém não tão alta. Seguimos até o final da rua (Murray Street) e chegamos nas cataratas. Sim, fácil assim. As cataratas ficam na lateral de uma rua super movimentada da cidade Niagara Falls (Niagara Pkwy), então é só caminhar pela rua, olhando pelo murinho e admirar o espetáculo da natureza.


As cataratas tem o lado EUA com uma cachoeira mais reta, que fica de frente. E uma cachoeira em forma de ferradura, que fica mais do lado do Canadá. Caminhamos até a queda da cachoeira lado canadense e realmente é muito bonito, vale a pena algumas fotos pela área. Vi que tinha um shopping em frente as quedas do lado canadense, com praça de alimentação, mas não chegamos a entrar.




Seguimos na lateral das cataratas em direção a ponte que faz fronteira com os EUA, a Rainbow International Bridge. Não atravessamos a ponte. Por quê? Pesquisamos bastante se valeria a pena ir aos EUA pelo menos para umas comprinhas, na cidade de Buffalo, mas não encontrei nenhuma informação clara se teríamos problemas para entrar novamente no Canadá, já que o nosso visto eletrônico permite apenas entrada aérea no país. Cheguei a ler em um blog de uma agência de turismo que geralmente a fronteira do Canadá deixa entrar, já que já está com o carimbo válido, mas que realmente dependia da boa vontade dos policiais da fronteira. Achamos melhor então não ir até os EUA, nem de carro, nem a pé.

Fomos até a rua Clifton Hill. Essa rua lembra um pouco as lojas de Las Vegas. Lojas bem temáticas e muito entretenimento, inclusive para as crianças. Paramos em uma loja gigantesca de games para o pequeno brincar e a gente descansar um pouco. Nesta rua também tem um mini golfe temático de dinossauros, várias casas de terror, um museus de coisas incríveis do Ripley's (conheceremos esse museu no México e foi bem legal) e até um Burger King com uma cara bem diferente. Seguimos a rua até o final das atrações e depois voltamos para pegar o carro.






Junto das cataratas há o passeio de barco que passa bem junto nas quedas, mas não chegamos a fazer este passeio. Do lado das cataratas dos EUA, tem uma passarela em que as pessoas descem com capas de chuva amarelas, bem como conhecemos no desenho do pica-pau e o famoso episódio da descida das cataratas em um barril.


Saindo de Niagara Falls, seguimos para Niagara on the Lake, uma cidadezinha que parece que saiu de um filme. Não fomos pela pista de mais velocidade, como mandou o GPS, mas fomos seguindo pela estrada que beira o Rio Niagara. É só seguir o caminho do rio. A visita pela cidade foi só para conhecer um pouco e curtir o clima da cidade pequena. Ver as lindas casas, dar uma volta no centrinho, tomar um sorvete... E não deixe de seguir a rua até o final e ver a vista do Lake Ontario. Lá tem um estacionamento gratuito e uma bela vista para o lago. Com sorte, em um dia mais claro, é possível ver Toronto e a CN Tower. Vimos a CN Tower bem apagadinha, mas conseguimos ver.



Na volta para casa ainda paramos em um shopping pelo caminho para jantar e fazer umas comprinhas.