terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Campos do Jordão - Dia 5

 O roteiro do nosso quinto dia em Campos do Jordão foi:

1) Fazendinha Toribá

2) Parque Amantikir

A Fazendinha Toribá é uma ótima opção para levar as crianças para terem contato com animais de fazenda. Em uma área de 300 mil m2 de muito verde, a fazendinha conta com vários animais, como Galinhas, Patos, Gansos, Ovelhas, Vacas, Coelhos, Cabras, Porquinhos-da-Índia, etc. As crianças adoram dar comida para os animais e segurá-los no colo. Além dos animais, é possível fazer um passeio agradável no meio da natureza, com lago, quiosque para lanches e mesas para piquenique.




A fazendinha conta com estacionamento gratuito. Para chegar lá, há uma estrada de terra. Ao chegar na fazendinha, você receberá uma comanda e uns vasinhos com milho para dar para os animais. O pagamento é realizado apenas na saída. O passeio é livre e você pode demorar o quanto tempo quiser. As minhas crianças amaram ver os animais, principalmente as galinhas e patos, que corriam soltos por todo lado. Como visitamos em época de pandemia, a entrada nos recintos dos animais estava sendo controlada, uma família por vez. Visitamos a casinha do coelho e do porquinho-da-Índia, fizemos carinho e demos comida. Infelizmente havia muitas pessoas sem máscaras, inclusive funcionários. 

Visitamos a fazendinha em uma terça-feira e não estava cheia. Apesar de termos sido informados que haveria um food truck funcionando na hora do almoço, até a hora da nossa saída, 13h, não havia alimentação sendo vendida. 






Endereço: Estrada Paulo Costa Lenz Cesar, 630 - Campos do Jordão, SP.
Telefone: (12) 99600-7786
Horário: Todos os dias de 9 às 15h.
Preço: Segunda a Sexta-feira: R$ 40,00 (inteira) | R$ 20,00 (meia).
Sábados, Domingos, Feriados e Dias de Feriados Prolongados: R$ 50,00 (inteira) | R$ 25,00 (meia).

O  Parque Amantikir pode ser visitado em média em 2 horas. O parque é um verdadeiro jardim botânico. Apresenta jardins de várias partes do mundo, o que forma uma linda paisagem e deixa o parque muito fotogênico. Basicamente o parque segue um caminho, desta forma, o passeio fica mais organizado e sem muitos rodeios. Eles fornecem mapa e sombrinhas para o sol. 






O parque conta com estacionamento gratuito. Ao chegar, é formada uma fila na parte externa para comprar o ingresso. A partir dali, é só seguir por uma trilha até chegar um portal onde se encontra o jardim japonês. Dali em diante vão surgindo os demais jardins. A parte do parque que fez mais sucesso com meu pequeno foi o labirinto. A criança se divertiu um bocado e passou um bom tempo tentando encontrar a saída. O parque possui vários cantinhos lindos para fotos. Aproveite o parque com calma, sem deixar de fotografar os momentos por lá.





Fizemos o passeio de carrinho, porém, em algumas partes tivemos algumas dificuldades com sobe e desce. Além disso, no final do passeio, é necessário passar por dentro de uma lojinha super "apertada" para poder sair do parque, tivemos muita dificuldade, pois nosso carrinho é duplo, portanto, é mais comprido que o normal. A trilha final, para deixar o parque, tem bastante subida e com o chão com pedrinhas, esta foi a parte mais chatinha para andar de carrinho, mas nada impossível. Inclusive, com as "sacudidas", meu bebê até dormiu.




O parque realmente é muito bonito e vale conhecer. Fomos em um dia de semana, e para nossa surpresa, achei o parque um pouco cheio. 
Apesar do parque ter várias árvores, não há muita sombra pelas trilhas. Vá preparado com boné, óculos escuros, protetor solar e água. Além disso, escolha roupas confortáveis e não se esqueça do repelente. Isso vale para os dois passeios do dia. 

Endereço: R. Simplício Ribeiro de Toledo Neto, 2200 - Gavião Gonzaga, Campos do Jordão - SP
Horário: Aberto todos os dias de 10 às 16h.
Preço: Ingresso R$ 40,00, com meia entrada.

Campos do Jordão - Dia 4

Este dia foi dedicado ao Parque Tarundu.
Este parque é descrito como uma Parque de Aventuras, e, na minha opinião, é bem legal para crianças entre 5 anos e uns 15 anos. É claro que os menores tbm tem o que fazer por lá e os adultos também, mas acho que esta faixa etária acaba se divertindo mais pelos tipos de atividades. 




O parque fica a mais ou menos 20 minutos da Vila Capivari. Tem uma estradinha de terra para chegar. O estacionamento é gratuito.

Não deixe de conferir no site do parque as informações atuais. Devido a pandemia, por exemplo, horários e preços podem estar diferentes. Quando visitamos, no dia 8 de outubro de 2020, o parque estava abrindo de 10h até 18h e os ingressos para a entrada no parque estava custando R$ 38,00 (R$ 28,00 se comprar antecipadamente), com direito a meia estudante e menores de 3 anos não pagam. O passaporte estava em promoção (isso mesmo, promoção) por R$ 170,00, pois algumas atividades estavam fechadas. Então além da entrada, ainda precisa comprar o passaporte se for querer brincar. As atividades também podem ser compradas de forma avulsa, mas não compensa. Andar a cavalo, por exemplo, custa R$ 90,00. 

Compramos então 3 entradas e um passaporte. O bebê não precisou pagar nada e compramos apenas um passaporte para o nosso pequeno brincar. No Buggy, menores de 11 anos tem direito a um acompanhante, então mesmo sem passaporte, o papai pode acompanhar o pequeno dirigindo o carro em um pequena pista de kart. Recebemos nossas pulseirinhas com chip na entrada e só na saída são devolvidas, após fazer o pagamento.



Vá preparado para passar o dia, não esqueça de levar boné, protetor solar, repelente, bolsa térmica com água e lanchinhos (lá vende água). O restaurante é bem caro e não li boas avaliações na época no TripAdvisor. Pratos em torno de 70 reais. Eu levei a comida do bebê e do mais velho já quentinha em potinhos térmicos da Thermos. E para nós, adultos, comemos um sanduíche de pernil no restaurante, de R$ 28,00. Até que não achei ruim. Só tinha dois sanduíches no cardápio, este e um cachorro quente de R$ 23,00.

O parque não é muito grande. Tem algumas atividades Indoor, em um galpão coberto, e algumas atividades Outdoor. Se organize para os horários de mais sol forte ficar na parte Indoor. No nosso caso, choveu no dia da nossa visita, então a parte Indoor serviu também como abrigo. 





Ao chegar, já vá direto agendar o passeio a cavalo, assim evita não ter mais horários. O passeio é por uma trilha. Portanto, não dá para acompanharmos o passeio. Aproveite para tirar fotos enquanto eles estiverem subindo no cavalo ou voltando da trilha, pois o percurso não é acompanhado. Há vários cavalos e pôneis para ver por lá. As crianças adoraram ver os cavalos de pertinho. 




As atividades em que o meu filho de 7 anos brincou foram Mini golf, passeio a cavalo, Tubo Insano, Boia Indoor e Outdoor, Trampolim Indoor e Outdoor, parede de escalada, Kart, Arco e Flecha, Tirolesa e dirigir aqueles bichos de pelúcia, igual de shoppings. Para algumas destas atividades, o uso de tênis é obrigatório. As demais atividades estavam fechadas no dia da minha visita ou não eram próprias para a idade do meu pequeno. No site tem todas as atividades.

Para mais informações sobre este parque, acesse http://tarundu.com.br/
Endereço: Av. José Antônio Manso, 1515, Campos dos Jordão – SP
Telefone: (12) 3668-9595

terça-feira, 31 de julho de 2018

Montreal - Dia 2

O nosso segundo dia em Montreal foi dedicado para visitar o centro histórico da cidade. Montreal, assim como Quebec City, pertence a parte francesa do Canadá e, portanto, possui um centro histórico que lembra e muito as cidades europeias.

Seguimos o seguinte roteiro:

1) Place D’Armes
2) Vieux Séminaire de St-Sulpice
3) Basilique Cathédrale Notre-Dame
4) Old Port (Vieux-Port de Montréal)
5) Science Centre - Museu de Ciência
6) Place Jacques Cartier
7) Hôtel de Ville
8) Château Ramezay
9) Bonsecours Market
10) Underground City (cidade subterrânea)

Chegamos no centro de Montreal bem cedo, por volta de 9hrs da manhã. Para estacionar, uma opção é o estacionamento do shopping Clomplexe Desjardins. Acabamos estacionando em um estacionamento público mesmo. Era domingo e pagamos $10 pelo dia todo.

Começamos na praça Place D’Armes. Essa praça é bem grande e cheia de turistas. Nesta mesma praça você vê o Vieux Séminaire de St-Sulpice e a Basilique Cathédrale Notre-Dame. A estátua que fica no centro da praça é do fundador de Montreal. O seminário é do século 17 e apenas recentemente abriu as portas para visitação. A basílica é a maior construção católica da cidade e é espetacular por dentro. A entrada na igreja custa $5 por pessoa. A todo momento há visitações guiadas na igreja, em francês e inglês. Vale a pena acompanhar um guia para conhecer a história do local. Fique atento ao horário de visitação da Basílica.





Depois da Place D’Armes seguimos em direção a água, para o antigo porto. A área é super legal. No dia da nossa visita estava tendo uma feira de ciências e tecnologia com várias barraquinhas, experimentos e monitores. Assim que chegamos no porto avistamos o Science Centre e logo ao lado uma enorme praça de alimentação. Começamos pelo Science Centre.

O Museu de Ciências de Montreal é bem interessante para as crianças, porém confesso que esperava mais. O museu é todo interativo e possui diversos experimentos interessantes. Ficamos mais ou menos 3 horas dentro do museu. Dentre os espaços do museu, tem o espaço do corpo humano, a área infantil, a área de experimentos (no dia da nossa visita só abriu às 12h), área de física etc. Sem crianças não acho tão interessante incluir este museu no roteiro. O ingresso custou $23 para adulto e $14 dólares para crianças, isso porque não acrescentamos no nosso ingresso o cinema IMAX.





Paramos para almoçar na praça de alimentação que fica ao lado do museu. Por lá tem o poutine, pizza, comida tailandesa, comida italiana etc.

Depois de passear um pouco pela área do porto (tem até uma enorme roda gigante por lá), seguimos para a praça Place Jacques Cartier. Ali tem um obelisco e Hôtel de Ville, que é a prefeitura de Montreal. A construção da prefeitura terminou em 1878. De frente para a prefeitura tem o Château Ramezay, de 1705, já foi residência do governador e atualmente funciona como um museu de história. A região da Place Jacques Cartier é super movimentada, com muitos restaurantes, sorveterias, lojas etc. É só caminhar mesmo para conhecer a área. Por último nesta área fomos conhecer o Bonsecours Market, entretanto ele não é bem um mercado municipal como eu esperava. Demos uma olhada e só vi uma loja enorme e chique de roupas. Em todo caso, tem uma feirinha com alguns artesatos em frente.





Acabamos não tendo tempo de visitar a Underground City (cidade subterrânea usada nos dias mais frios para locomoção), pois optamos por terminar o dia na feira de ciências que estava tendo em frente ao museu, no porto. Li que a Underground City possui vários túneis ligando diversas lojas e estações de metrô.




Gananoque

Roteiro de 1 dia em Gananoque

Na verdade passamos em Gananoque quando estávamos viajando de Montreal para Toronto. Passamos a manhã na estrada, a tarde em Gananoque e a noite na estrada novamente. Gananoque foi a nossa maior parada estratégica do dia para descansarmos um pouco e aproveitar um passeio diferente.

Antes de chegar em Gananoque, demos uma pequena parada em Lancaster, que tem um parquinho bem perto da rodovia que liga Montreal a Toronto. O Smithfield Park é bem legal para as crianças gastarem um pouco de energia, depois de ter ficado um tempo na estrada.


Para almoçar, fomos no shopping 1000 Islands que fica já chegando em Gananoque. Lá tem algum comércio e uma pequena praça de alimentação.

De Gananoque sai o famoso passeio de barco pela 1000 Islands. Este passeio não sai apenas desta cidade, mas de Kingston e Rockport também, por exemplo. Escolhemos fazer o passeio de Gananoque porque gostamos dos preços e do roteiro do passeio. Você pode conferir tudo no site, inclusive comprar os ingressos. Em época de férias de verão, vale a pena comprar os ingressos do passeio com antecedência. A bilheteria fica na 280 Main St, Gananoque, ON K7G 2M2.
Confira as informações atualizadas no site abaixo:
https://ganboatline.com/

Chegamos na cidade, que é bem bonitinha, e passamos em uma Dollarama e um supermercado. Depois seguimos direto para o estacionamento do Gananoque Boat Line. O estacionamento custou 6 dólares para o dia todo. Compramos os nossos ingressos, mais ou menos 35 dólares por pessoa, sendo que o nosso pequeno não precisou pagar, pois apenas crianças a partir de 6 anos pagam ingresso.


Eles pedem para chegar uns 20 minutos antes do horário de partida do barco e então liberam a entrada. É possível sentar na parte aberta, que fica em cima do barco, ou sentar na parte fechada que fica na parte debaixo. A princípio escolhemos ficar na parte de cima, entretanto, o vento estava muito forte e frio, então passamos para a parte debaixo, mas a vista também é tão bonita quanto.




Escolhemos o passeio de 2 horas e meia. O passeio menor não passaria no castelo, o Boldt Castle, então escolhemos este porque queríamos passar por diversos pontos que tínhamos visto na Internet. Apesar de muito tempo no barco, o passeio não foi entediante. Apesar de passar pelos EUA, como não descemos do barco, não é necessário visto para os EUA para fazer este passeio. Há alguns passeios que você pode descer do barco, para estes é necessário apresentar o visto para os EUA.

1000 Islands tem muito mais que 1000 ilhas. As ilhas ficam na fronteira entre o Canadá e os EUA. Portanto, você verá casas dos dois países. Algumas casas mais para mansões, inclusive. O destaque fica para as casas mais isoladas. Lembrando que para ser uma ilha é necessário ter pelo menos uma árvore.











Gananoque é uma cidade super pequena. A pracinha e a prefeitura são uma graça. Se preferir, em Kingston, que fica também bem perto (uns 30 minutos) tem mais opções para comer.

Antes de chegar em Toronto, ainda fizemos mais uma parada na cidade de Belleville. Esta parada foi apenas para visitar um parquinho temático de pirata. O parquinho infantil é super legal e inclui até uma Splash Area. O estacionamento é gratuito, assim como o espaço infantil.